Por: Carlos Janota

Isaías Samakuva - Pastor Evangélico na década de 80

Isaías Samakuva – Pastor Evangélico na década de Setenta

Mistérios ou simples segredos, todos os têm e quanto mais nos sentimos ligados à pureza e às supostas “deidades” do patriotismo (aqui não falo de Ngangulas), mais queremos imacular nossa vivência para dar algum sentido à necessidade vital dos opostos, dos contrários, enfim, a aliança vital entre o bom e o mau.

Quais então devem ser os mistérios de Isaías Samakuva? Ou talvez a pergunta deva ser colocada de maneira diferente, quais são os mistérios que conseguimos desvendar e explicar?

Os maiores segredos do actual líder do galo negro, concentram-se na política. Perguntar-se-ão se tenho autoridade para falar sobre isso. Digo que sim, na verdade, a minha ligação com o presidente Samakuva vem desde há muito. Foi meu professor na Missão Evangélica de Camundongo e tivemos uma ligação próxima, pois fui Assistente no Seminário de Dondi, onde o Dr. Samakuva se tornou pastor evangélico. Tudo isso se deu a partir de 1970.

Servir Deus ou Savimbi

Jonas Savimbi tinha um diferendo com os dirigentes da igreja, ao mesmo tempo que mantinha uma relação próxima com Samakuva, conversavam durante horas e no dia 25 de Dezembro de 1973, o então pastor Samakuva, tornou-se informador da UNITA e chegou a exercer militância activa de maneira formal a partir de 1974. Conta-se que as supostas orações de grupo eram apenas com militantes da UNITA para concertar ataques ou desdobrar as orientações de Jonas Savimbi. Tendo sido descoberto, o Conselho Pastoral, triste e impávido foi obrigado a suspendê-lo de toda a actividade pastoral.

Abreu Chindondo no caminho de Samakuva

Um fiél e crente da missão, que se dava pelo nome de Abreu Chindondo e que igualmente participava das reuniões secretas no interior da igreja, foi tido como sendo o culpado, ou seja, o “bufo” que condicionou a permanência de Samakuva. Dois dias depois, Chindondo apareceu morto, um crime que nunca chegou a ser esclarecido.

Chindondo, que tinha era amigo da mãe de Samakuva, Rosália Ani Ulundu, morreu praguejando. Misteriosamente, o local foi bombardeado uma semana depois e o actual líder do galo negro, começou sua militância activa.

About Patriota

Patriota, que aborda a política angolana, com isenção, imparcialidade e rigor analítico.

One response »

  1. Joshua Quiteculo diz:

    O “Ditos do Baú” assume que é um instrumento nas mãos do regime angolano. Por isso temos orgulho nos fretes que fazemos ao Governo o que, aliás, corresponde ao que diz o escolhido de Deus, o nosso querido Presidente José Eduardo dos Santos, que Angola é o MPLA e o MPLA é Angola. E é por isso que, agora e sempre, nós aqui no “Ditos do Baú” ajudamos a varrer do nosso país todos os que não veneram o nosso querido líder. Para esse feito usamos tudo quanto for necessário, até mesmo fuzilar quem não estiver de acordo.

    Respon

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s