Alves Cordeiro

sowetoAs terras da Jamba, registaram um episódio que contado hoje, faz surgir perguntas sobre a verdadeira saúde mental de Jonas Savimbi. Numa fase de extrema incerteza, de promessas e cabalas constantes, de alianças inesperadas e imorais, Jonas Savimbi, juntara na altura à sua interminável lista de más escolhas, uma decisão ligada ao dia 16 de Junho, que soou a uma “cabetula ideológica” algo que poucos ou ninguém sabia dançar.

Estávamos nos anos oitenta, uma fase em que o partido do Galo Negro, construía uma imagem de sucesso junto da Comunidade Internacional. Nesta fase o absurdo aconteceu na Jamba.

Os cabecilhas do apartheid pisaram o solo angolano através de Jonas Savimbi. De 20 a 24 de Junho de 1985, personagens como o presidente da África do Sul Pieter Botha, o ministro dos negócios estrangeiros, Pick Botha, e os restantes ministros mais importantes do governo segregacionista, estiveram reunidos em Angola-Jamba. Uma directiva foi afixada nas árvores da Jamba, de entre as ordens de cumprimento obrigatório, constavam as seguintes:

– Nenhuma referência sobre o dia 16 de Junho (massacre do Soweto) deverá acontecer em honra e por respeito aos nossos visitantes.

– Crianças e adultos deverão ser punidos severamente se forem vistas a circular nos aposentos dos convidados de honra.

A justificação                                                                  

Nzau Puna, ainda vivo, cujas declarações são públicas, afirmara que fora chamado com urgência por Jonas Savimbi para assistir à queima pública de crianças e mulheres em fogueiras devidamente construídas. Esse célebre político viria a assistir a outros episódios horrorosos.

Cerca de quinze crianças descuidadas e inocentes, com calções rasgados e suando, fruto da caminhada de caça a que tinham sido alvo, passavam nos arredores da cabana onde decorriam as conversações entre Pieter Botha e Savimbi, num momento em que as delegações decidiram fazer uma pausa para o almoço. Aquela imagem das crianças descuidadas chocou Savimbi. O desdém do presidente sul-africano era impossível de decifrar, pois, poderia estar a desdenhar os filhos dos negros ou a subestimar a organização social aí existente.

O castigo

 Savimbi, irritado, perguntou aos seus como foi possível aquilo ter acontecido. Terminada a visita da delegação do apartheid no dia 24 de Junho, por volta das 20 horas, chamou até sí Silvestre Gabriel Samy e disse: “Dê às crianças o Soweto que procuravam”. Quinze crianças foram torturadas com as famosas candambalas, sendo que seis delas acabaram por morrer devido às lesões graves sofridas. Mas, Savimbi não se deu por satisfeito, puniu também os pais das crianças que sobreviveram ao castigo.

Alguns maninhos da UNITA contam que a ordem de Jonas Savimbi era mesmo a de matar as crianças e não apenas torturá-las. Queria um outro Soweto na Jamba, literalmente.

O massacre do Soweto aconteceu na África do Sul, em 16 de junho de 1976, e baseou-se num protesto contra a inferioridade das “escolas negras” na África do Sul. Mais de 10.000 pessoas fizeram parte desse acto que deu origem em 1991 ao dia da criança africana em homenagem às vítimas desse episódio.

About Patriota

Patriota, que aborda a política angolana, com isenção, imparcialidade e rigor analítico.

One response »

  1. Joshua Quiteculo diz:

    O “Ditos do Baú” assume que é um instrumento nas mãos do regime angolano. Por isso temos orgulho nos fretes que fazemos ao Governo o que, aliás, corresponde ao que diz o escolhido de Deus, o nosso querido Presidente José Eduardo dos Santos, que Angola é o MPLA e o MPLA é Angola. E é por isso que, agora e sempre, nós aqui no “Ditos do Baú” ajudamos a varrer do nosso país todos os que não veneram o nosso querido líder. Para esse feito usamos tudo quanto for necessário, até mesmo fuzilar quem não estiver de acordo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s