MFUKA

Mfuca Muzemba
– Antigo Líder da JURA –

Por: Félix Miranda

A nossa política interna, vem registando uma falta de coerência ideológica e até programática por parte dos partidos políticos. É sobejamente consabido que o que um critica e rejeita no outro é exactamente o que ele pratica. A hipocrisia se instalou no seio daqueles que querem liderar, já não são meros aspirantes ao poder, exercitam a manipulação barata, enganando o povo com uma retórica que vai além do ridículo e que normalmente se degenera num aproveitamento venal das desgraças das nossas populações. A regra é: usar o sofrimento e as desgraças populares para ascender ao poder.

Casos como Abel Chivukuvuku, cujo filho ostenta poder financeiro nos EUA, frequentando casinos, iates, clubes privados e fazendo questão de exibir milhões de dólares nas redes sociais, quando por cá o pai se faz passar por alguém que sofre como o povo. A proveniência desse dinheiro, para além da sua conhecida ligação a um forte empresário do MPLA pode sem dúvidas ter outras fontes duvidosas. Porque não?

O CASO UNITA

A UNITA, tem um único interesse: transformar seus “maninhos” em ricaços, mas de forma silenciosa, para que os eleitores não os descubram. Recentemente, através de fontes, que os jornalistas normalmente têm, tomamos conhecimento, com algum espanto que a UNITA tem cerca de 15 grupos empresariais – os que se conhece – e como se não bastasse muitos desses interesses são aliados de empresários ligados ao poder.

O PRÉ-ALERTA DE MFUCA MUZEMBA

Aquando do escândalo que opôs, o antigo líder da JURA e a direcção da UNITA, embora poucos tenham dado pouca relevância ao facto, o jovem já se tinha queixado de que Isaías Samakuva não permitia que nenhuma outra empresa prestasse serviços ao partido senão as empresas de Rafael Massanga, um dos filho de Jonas Savimbi, nas quais Victorino Nhany e Pedro Cachiungo, dentre outros são accionistas.

Para o partido UNITA, é conveniente que o povo continue a encarar-lhes como pobres, iguais a nós, nós os povos do gueto, hipnotizados por inúmeras e dóceis esperanças moribundas. Mas não, não somos iguais, pois, o cidadão atento sabe que o diamante do país foi literalmente saqueado por Jonas Savimbi, e não seriam tão patetas ao ponto de não terem tido um plano B ou C. Quantas eram as notícias que davam conta de que Savimbi mandava guardar diamantes e dinheiro a líderes amigos de África e Portugal? Em contas pessoais de seus dirigentes e filhos?

A PROVA DA RÁDIO DEUTSCHE WELLE

A rádio alemã, ao ter informado que grupos empresarias ligados à UNITA, definem a má conduta da Rádio Despertar, censurando toda a informação que não seja negativa ao galo negro e que seja positiva aos demais partido, ficou claro, que talvez estejamos a lidar com uma máfia, que tão logo pegue no poder – e Deus queira que não peque – por fome de vingança e humilhação, fará coisas que a Democracia repudiará e a história negar-se-á em testemunhar.

A avaliação é vossa, mas já não se deixem enganar.

About Patriota

Patriota, que aborda a política angolana, com isenção, imparcialidade e rigor analítico.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s