ImagemA Eurodeputa Ana Gomes, conhecida por criticar o Executivo do Presidente José Eduardo dos Santos, e por ser supostamente uma mulher idónea e de palavras firmes, mostrou não ser o que aparenta ao conluiar com o activista cívico Rafael Marques para ludibriar a legislação angolana, que impede cidadãos estrangeiros de obterem residências nos projectos habitacionais construídos por iniciativa Executiva.

Uma fonte nossa junto da AJPD, confirmou que os primeiros contactos com a eurodeputada foram mantidos em Bruxelas em Setembro de 2013 por via de António Ventura, Presidente dessa instituição. Este informou Rafael Marques sobre a intenção de Ana Gomes ter uma residência em Angola, mas que se via impossibilitada devido às “rixas” com o Executivo angolano.

O jornalista e activista cívico entrou em acção em Fevereiro de 2013, usando a AJPD para comprar uma residência no Kilamba alegadamente para servir de “casa de passagem” capaz de albergar entidades internacionais e activistas dos Direitos Humanos que viessem à convite da Associação. Após ter enfrentado a resistência de Fernando Macedo, tido como um homem íntegro, rigoroso e pragmático, optou por usar um cidadão luso-angolano.

A trama foi descoberta pela nossa fonte por três motivos que lhe pareceram suspeitos:

1º A AJPD continuava a pedir patrocínios para albergar seus visitantes estrangeiros e a residência no Kilamba continuava desocupada.

2º A residência está em nome de Cirlo de Couto (foi assistente oficioso da eurodeputada na Embaixada de Portugal na Indonésia, de 2000 a 2003), cidadão Luso-angolano um dos  lobbystas portugueses de Rafael Marques, e que não tinha nenhum vínculo com a Associação de Ventura.

3º A residência é utilizada de forma exclusiva por Rafael Marques e a filha de Ana Gomes de forma não periódica.

A fonte adiantou que um mal estar se instalou no seio dos que se aperceberam disso, pois o activista terá recebido uma gratificação da dirigente europeia, num valor acima dos 46. 000 Euros na mesma altura em que Cirlo de Couto fazia o trespasse formal da residência para uma das empresas da diplomata portuguesa. E ficou assim concluída a jogada de Rafael Marques.

O angolano e a portuguesa, têm uma relação que vai além do activismo cívico. Na próxima semana, o Rafael vai falar diante do Parlamento Europeu sobre a sua recente prisão na capital angolana, e adivinhem quem a convidou, nada mais nada menos que a eurodeputada Ana Gomes.

Recordamos que a Eurodeputada tem uma filha, seis netos e três enteados. É casada com o António Franco, embaixador jubilado (o termo jubilado, refere-se ao servidor público aposentado).

Fonte: Ditos do Baú

About Patriota

Patriota, que aborda a política angolana, com isenção, imparcialidade e rigor analítico.

One response »

  1. Joshua Quiteculo diz:

    A este texto, que assumimos como um frete ao Governo corresponde, aliás, ao que diz o escolhido de Deus, o nosso querido Presidente José Eduardo dos Santos, que Angola é o MPLA e o MPLA é Angola. E é por isso que, agora e sempre, nós aqui no “Ditos do Baú” ajudamos a varrer do nosso país todos os que não veneram o nosso querido líder. Para esse feito usamos tudo quanto for necessário, até mesmo fuzilar quem não estiver de acordo. É que, aliás, vai acontecer a Rafael Marques e já esteve para, ontem, acontecer a William Tonet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s